fonte: Valéria Neris

Que a alimentação é o combustível para as nossas vidas, todos sabemos. Os hábitos alimentares adequados proporcionam ao organismo condições para uma vida saudável, acrescentando longevidade, saúde, disposição, desde que a dieta seja equilibrada e provida de moderação. Não existem alimentos taxados como proibidos (para pessoas sadias), e nem alimentos milagrosos, o segredo esta no uso com bom senso.


A realidade é que o hábito alimentar de muitas pessoas é rico em açúcar, gordura e sal, com excesso de alimentos refinados (a base de açúcar e farinha de trigo branca), gorduras saturadas e trans (presente em carnes gordurosas, margarinas, sorvetes, industrializados, chocolates, frituras, comidas de fast food) e alimentos industrializados (que possuem pouco valor nutritivo e muitos aditivos, corantes, nitrato, conservantes artificiais, etc).


Esse tipo de alimentação acelera o processo de envelhecimento, provoca problemas digestivos e intestinais (inchaço, gases, cólicas), aumenta a ansiedade, piora o estresse, predispõe a tensão pré-menstrual, promove o acúmulo de toxinas, diminui a concentração e disposição física, provoca alterações de humor, diminui a fertilidade e aumenta os riscos de aborto, enfraquece a imunidade, promove dores de cabeça, enfraquece a pele, cabelo e unhas. 


O problema e que atualmente vivemos em um paradoxo. Ao mesmo tempo em que existe uma epidemia global de obesidade, temos a cada momento mais informações sobre saúde e uma oferta ainda maior de alimentos saborosos, de baixo custo, com alta densidade calórica e baixíssimo valor nutricional, o que fez com que as pessoas se acostumassem com o sabor mais forte. Para acentuar o sabor, a indústria usa ainda mais sal, gordura e açúcar e infelizmente os paladares foram se condicionando dessa forma.


Não existem "alimentos mágicos" capazes de garantir, sozinhos, a manutenção da saúde, e a palavra de ordem é moderação e equilíbrio.


Uma alimentação saudável proporciona qualidade de vida, pois faz nosso corpo funcionar adequadamente respondendo a todas as funções e é uma das melhores formas de prevenção para qualquer doença. Adquirir uma alimentação saudável requer observar quantidades corretas, sem exageros e também sem exclusões, ter rotina de horários e alimentos que forneçam ao corpo todos os grupos alimentares.


Em caso de duvidas é sempre importante procurar ajuda de profissionais especializados no assunto, o nutricionista, esclarecer e organizar um plano alimentar que e único para cada pessoa de acordo com todas as suas necessidades e organizado conforme a sua rotina.










fonte: Valeria Neris

Quem resiste àquele cheirinho de café logo cedo ou no meio da tarde? Quente, frio, com leite, puro, amargo ou bem docinho, o café está no topo das bebidas mais consumidas no mundo todo. Apesar de ser uma das bebidas mais populares, ainda existem algumas controvérsias acerca do café: afinal, o café faz bem ou faz mal para a saúde? Com tantas informações desencontradas a respeito dos benefícios e malefícios do café, não é de se estranhar que cada xícara venha acompanhada de uma gotinha de dúvida.


A cafeína em quantidades moderadas - o equivalente a 400 mg/dia,  não é prejudicial a saúde, mas é importante estar atento aos malefícios que o consumo excessivo do café pode causar. Alguns deles sao agitação, irritabilidade, o  consumo à noite pode prejudicar o sono. Em excesso, o café pode também agredir a mucosa do trato gastrointestinal, piorando ou propiciando o inicio de uma gastrite, esofagite e ate de uma ulcera gástrica. Gestantes também não devem consumir o café em excesso visto que o uso abusivo poderá diminuir a absorção de cálcio o que pode causar má formação fetal.


Quando pontuamos os benefícios, descobrirmos que tomar um cafezinho nos traz muitas vantagens. Tem um efeito estimulante, melhorando o sono e aumentando a energia, melhora a concentração e a capacidade de aprendizado, tem ação termo gênica auxiliando no emagrecimento e a  pausa para um café, é sempre um convite para uma conversa, leitura, descanso ou reflexão. Faz parte da nossa herança social, colabora com a nossa sociabilidade, melhorando a nossa rotina de trabalho.


Mas a diferença entre o remédio e o veneno é a dose e as vantagens e as desvantagens estão na quantidade e no modo de preparo. Como dito anteriormente, a quantidade adequada de cafeína diária e de 400 mg/dia, o que da em torno de 03 a 04 xicaras de café por dia. O café coado, especialmente em filtro de papel, é sempre a melhor opção. Isso porque o café é rico em 2 substâncias, denominadas de Cafestol e Kahweol, cujo consumo está diretamente associado a aumento dos níveis de colesterol total. O processo de filtrar no coador de papel reduz significativamente essas substâncias (que ficam retidas) enquanto que as demais formas de preparo, especialmente o café expresso as preservam.


E também  não posso deixar de falar sobre o açúcar do cafezinho, pois com ele nós anulamos todo e qualquer benefício! Tente reduzir aos poucos o açúcar ou adoçante do café, para tentar consumi-lo o mais natural possível.


Uma estratégia é associar canela ao pó do café! Melhora o sabor e reduz necessidade de adoçar, caso prefira adoçá-lo utilizar-se  de adoçantes naturais como o stevia ou o xilytol.










fonte: Annelise Ribeiro do Vale de Lima Dias

É um alimento funcional que contêm substâncias ativas que beneficiam o organismo ajudando na prevenção de doenças como diabetes, colesterol e triglicerídeos alterados, câncer e a promover a melhoria da saúde. Além disso, os alimentos funcionais ajudam na prevenção de anormalidades como a obesidade, constipação, e depressão por exemplo.


A biomassa de banana verde é um alimento muito falado e utilizado ultimamente devido suas propriedades funcionais, pois, quando cozida, apresenta um teor excelente de amido resistente, que tem ação semelhante à das fibras. Por isso, ele não é digerido e nem absorvido.


No intestino, a biomassa é utilizada por bactérias boas do nosso organismo, como uma fonte de energia, mantendo assim a integridade da mucosa intestinal, que é responsável pela absorção dos nutrientes e barreira entre o meio externo e meio interno.


Ela é rica em vitaminas como A, B1, B2 B3 e minerais essenciais como fósforo, magnésio, potássio e sódio, tendo como benefícios melhoria no funcionamento do intestino, recupera a microbiota intestinal auxiliando na melhora do sistema imunológico, reduz a absorção de gordura e da glicose da dieta, além de contribuir para a saúde óssea, contração muscular e melhoria da imunidade.


Por isso, a biomassa é indicada para quem tem restrições alimentares como intolerância ao glúten, à lactose, recuperando a saúde intestinal, deixando o organismo mais protegido e fortalecido para a digestão de alimentos permitidos, reduzindo os sintomas da intolerância.


Por ser rica em fibra, promove a saciedade no paciente, importante no tratamento da obesidade. Também pode substituir o leite condensado, creme de leite, maionese, molhos, bolos, pães, entre outros, porque funciona como alimento espessante (aumenta a consistência dos alimentos) e não altera o sabor.


Portanto, a biomassa é um alimento muito importante que pode ser usado na sua alimentação que ajudará a prevenir diversas doenças, já que possui muitas vitaminas e minerais, além de atuar no equilíbrio do funcionamento intestinal, podendo ser consumida por todos, desde crianças, adultos, gestantes, nutrizes e idosos. Não há contraindicação, apenas adequações no consumo diário, indicadas pelo nutricionista conforme as necessidades do paciente. É muito benéfica à saúde e pode ser incluída na alimentação diária.










fonte: Valéria Neris

A gestação é sem duvidas um momento muito aguardado pela maioria das mulheres e viver essa fase te impõe alguns cuidados. Para obter rendimento no ambiente de trabalho e qualidade na fase gestacional é necessário uma nova organização de rotina e algumas adaptações serão bem vindas.

 

Mesmo que seu emprego não exija que você fique por longos períodos de pé, é sempre bom lembrar de pequenos gestos que ajudarão você a se sentir mais confortável no seu dia-a-dia. Entre outras medidas simples, tente fazer algumas. 

 

Faça intervalos regulares: coloque os pés para cima se trabalha bastante tempo de pé, ou fique de pé e caminhe a cada duas horas caso passe a maior parte do tempo sentada (isso ajuda a diminuir o inchaço de pés e tornozelos). Escolha sapatos confortáveis e roupas que não apertem a região abdominal.

 

É importante se hidratar, mantenha um copo cheio de água por perto e volte a encher sempre que ele estiver vazio. E vá ao banheiro, nunca fique segurando o xixi, já que gestantes são mais suscetíveis a infecções urinárias.

 

Procure trabalhar normalmente, enjoos podem ocorrer, os intervalos de idas ao banheiro serão mais frequentes e alguns movimentos ficarão complicados, mas adapte-se, e é sempre bom rever os prazos, mas não deixar de fazer o seu trabalho.  Outra dica é tentar planejar seus horários no médico, pois seu gestor também precisa se organizar para arcar com a sua ausência. 


 

E a alimentação? Este artigo não ficaria completo se eu não falasse da importância de uma alimentação balanceada nessa fase.

 

A mulher grávida tem necessidades nutricionais específicas. Tanto a qualidade e a quantidade de alimentos, como a frequência de consumo devem ser organizadas, pois toda a nutrição do bebê depende do que chega pela corrente sanguínea da mãe. Todas as demandas impostas ao corpo da mulher para gerar o feto precisam ser atendidas para garantir uma gestação saudável.

 

Uma má nutrição, tanto por excesso como por carência nutricional, pode trazer consequências graves. O inadequado estado nutricional da gestante está relacionado com maiores números de infecções, menor crescimento fetal, anos neurológicos, baixo peso ao nascer, mortalidade infantil, materna, e de doenças crônicas na idade adulta, tais como obesidade, diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, entre outras.

Cada fase gestacional impõe necessidades nutricionais específicas que precisam ser revisadas ao longo dos nove meses da gravidez. Por exemplo, o primeiro trimestre é caracterizado por intenso aumento no fluxo sanguíneo. Por isso, as vitaminas e minerais ligados ao sistema circulatório são prioritários. Já no último trimestre da gestação, o ritmo de crescimento do bebê aumenta bastante, impondo à gestante maior necessidade de calorias. Além disso, dependendo da evolução da gestação, cuidados especiais deverão ser redobrados, como acontece nos casos de diabetes gestacional.

Optar em ter uma rotina saudável e uma alimentação balanceada te proporciona mais disposição e melhora o seu rendimento no ambiente de trabalho, sendo assim, cuide-se, procure um nutricionista, faca atividades físicas regulares (desde que liberadas pelo seu medico), se organize, não se entregue ao cansaço e viva esse momento que é uma mistura de sentimentos e merece ser vivido intensamente.










fonte: VALÉRIA NERIS

O consumo dos alimentos integrais vem sendo amplamente discutido e indicado , pois faz parte de uma alimentação saudável e traz uma série de benefícios nutricionais. Um alimento integral é aquele que não foi refinado e mantém a sua estrutura e integridade dos nutrientes, qualitativa e quantitativamente, preservando suas vitaminas, minerais e fibras, fundamentais para o bom funcionamento do organismo e para a prevenção de algumas patologias como o diabetes tipo 2, as dislipdemias e alguns tipos de canceres principalmente os do trato gastro intestinal.


Infelizmente, hoje em dia a comida integral não é consumida como antigamente, quando a indústria alimentícia não era o que é hoje e as pessoas sabiam o que fazer com os seus grãos, sementes e cereais, a verdade é que nos dias de hoje, até mesmo ser simples e natural se tornou complicado.


Encontramos hoje nos supermercados muitos alimentos que são rotulados como integrais, para atrair o público que deseja usar esses produtos para melhoria da saúde. Mas será mesmo que eles são integrais de verdade?



A simples presença da palavra "Integral" não significa que o alimento é 100% integral, ou que seja a nossa melhor escolha. O órgão responsável por essa fiscalização, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) não estabelece valores mínimos para alegar que o produto seja realmente integral. Portanto, se o fabricante quiser colocar qualquer quantidade de farinha integral, numa quantidade de 5 a 100% do total, já se é permitido considerar que o alimento seja integral.



O ideal seria que se estabelecesse um projeto de lei, no qual  para um alimento ser considerado integral, o mesmo terá que apresentar em sua composição mais de 51% de grãos integrais.


Através dos rótulos dos produtos industrializados, nos podemos avaliar a quantidade dos ingredientes,   se nele estiver indicando a presença da farinha de trigo integral, este sim  é considerado um produto integral, mas se no rótulo apresentar os dois tipos de farinhas, integral e branca, ou farinha fortificada com ferro e acido folico, observe qual delas vem primeiro na lista de ingredientes, pois os ingredientes que são listados primeiro estão presentes em maior quantidade, dessa forma você conseguira definir o produto que contem melhor qualidade.


Se você ainda não está acostumado a analisar o rótulo, vale a pena perder alguns minutos checando, com o tempo  pega prática e vai saber identificar qual produto é melhor para sua saúde.


Uma alimentação ideal, precisa ser saborosa e saudável! E comida de verdade, é aquela feita com ingredientes naturais, saídos da terra ou que caem das arvores, com o mínimo possível de  fertilizantes e agrotóxicos, sendo assim, melhor optarmos pelos alimentos feitos dentro da nossa casa, onde podemos escolher os ingredientes utilizados, (como a quantidade de cereal integral e fibras colocados, o teor da gordura inserido)  do que optar pelos atraentes industrializados que facilmente nos cercam.