Notícias

Ganha Tempo deverá ser construído no terreno da antiga rodoviária

Fonte: Rafael Vicentini - ACIR

A Assembleia Legislativa realizou na noite de ontem (06) uma audiência pública para discutir a implantação de uma unidade do Ganha Tempo em Rondonópolis. Requerida pelo deputado estadual Sebastião Rezende, a audiência teve como foco a decisão do local onde deve ser construída.


Após ouvir a opinião do público presente e as autoridades civis e políticas, o prefeito José Carlos do Pátio anunciou que vai solicitar um desmembramento de 2 mil metros quadrados no terreno da antiga rodoviária no centro da cidade. “Vou confiar no governo do Estado liberando este espaço, mas acreditando que eles vão trazer um projeto integrado com opções além do Ganha Tempo. Não vamos aceitar construir puxadinhos”, ressaltou Zé do Pátio.


O prefeito comentou que, por ele, esse investimento deveria ser feito em um terreno na quadra ao lado da Câmara Municipal no Jardim Guanabara, mas percebeu que o governador pretendia fazer a obra mais próxima do centro da cidade e mudou a decisão. José Carlos do Pátio disse que vai pedir ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Rondonópolis (IPPUR) que trabalhe em conjunto com o governo do Estado para adequar a área e os serviços de melhor maneira para a região.


A classe comercial e empresarial esteve representada pelo presidente da Associação Comercial Industrial e Empresarial de Rondonópolis (Acir), Juarez Orsolin, que também defendeu a ideia que se faça um projeto integrado, com unidades do Estado e Município para facilitar a vida do cidadão. Orsolin ainda comentou da preocupação de tornar o investimento para que seja viável e sustentável, e não se torne um “elefante branco”.


A proposta do local para o Ganha Tempo dividiu opiniões, porém todos entendem da necessidade desse investimento para o município. O projeto da unidade apresentado pela responsável pelo programa MT Par, Maria Estela, é feito em módulos e pode ser adequar com a necessidade de cada município. A intenção é disponibilizar até 102 serviços de 21 órgãos do governo estadual, além de área para alimentação, convivência, sala de reuniões, agências bancárias, entre outros. O projeto para Rondonópolis está estimado em R$ 7 milhões e será executado por meio de uma parceria com uma empresa privada.


O secretário de trabalho e assistência social do Estado, Max Russi, será o responsável pela gestão do Ganha Tempo e garantiu que o investimento será realizado na cidade e terá a colaboração do governador para que o projeto seja integrado como proposto pelo prefeito.


O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Neles de Farias, endossou apoio ao projeto com a ressalva de que a área do município seja valorizada como deve ser. O presidente da Câmara, Rodrigo da Zaeli, acompanhado de outros vereadores também participaram da audiência. 

Comentários