Notícias

ACIR solicita avanço na votação do projeto da UFR

Fonte: A Tribuna

A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), entidade representativa de classe, também está somando forças em prol da emancipação do campus local da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A entidade está encaminhando um ofício aos deputados federais e senadores com base ou atuação no município solicitando engajamento para maior celeridade na votação do projeto de lei que cria a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).


Essa ação da ACIR ocorreu após uma reunião realizada no mês passado, na qual representantes do Comitê Pró-UFR pediram o envolvimento da classe empresarial de Rondonópolis na luta pela emancipação do campus. Nesse contexto, eles expuseram que o projeto de lei que cria a UFR depende atualmente da aprovação da Câmara dos Deputados, para seguir para o Senado. No entanto, esse projeto entrou por várias vezes na pauta de votação, mas não foi apreciado em face do encerramento da sessão.


No documento, o presidente da ACIR, Juarez Orsolin, expõe que a entidade sempre esteve, ao longo dos seus 62 anos de história, engajada em causas em prol do desenvolvimento regional, a exemplo da instalação do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), do posto da Receita Federal, instalação de canal de TV, ampliação da infraestrutura, combate a criminalidade, instalação do terminal ferroviário, entre outras. No caso da UFR, atesta que a participação da entidade não poderia ser diferente.


Aos parlamentares, o presidente da entidade externa ainda um pouco da importância de Rondonópolis sediar uma universidade federal própria, objetivando gerar um impacto socioeconômico muito grande. Ele vislumbra que a instalação da Universidade Federal de Rondonópolis é o ponto de partida de uma arrancada para o desenvolvimento regional, pois, além do conhecimento, tende a movimentar a vida econômica da cidade, a começar pelo grande contingente de docentes e equipes técnico-administrativas. Hoje a parte administrativa fica sediada em Cuiabá.


“O campus não tem mais fôlego para atender a grande demanda desta comunidade. Há necessidade, não só de ampliar cursos, bem como a necessidade de ampliar a capacidade de pesquisa, de realização de seminários, congressos e mais: a necessidade de criarmos mecanismos de retenção de nossos talentos. Este modelo já foi testado e aprovado em tantos outros lugares no mundo. Onde há educação de qualidade, com estrutura, professores renomados, formação de mão de obra de qualidade, ali há o desenvolvimento, segundo Putnam (1996)”, cita em trecho do ofício.


Assim, mesmo diante das inúmeras prioridades existentes atualmente no Congresso Nacional, a entidade reforça o pedido aos parlamentares no sentido de concentrar esforços junto as suas bancadas e apoios políticos para acelerar a inclusão do projeto que cria a UFR nas sessões de votação da Câmara dos Deputados.

Comentários